Questões de Opinião: Conto de fadas real


Conto de fadas real



Era uma vez duas princesas que moravam no mesmo reino e, apesar de tão diferentes - Daniele nunca fora muito elogiada por dizer tudo o que pensa, já Patrícia era exatamente o estereótipo de menina apaixonada - tinham uma linda amizade.

Uma dessas princesas soube de que um baile muito conhecido aconteceria em breve em um reino próximo, onde, por coincidência, seu tio residia em seu castelo. Muito entusiasmada com a idéia, Daniele corre a convidar sua amiga, que aceita o convite de bom grado. Tudo programado, agora somente restava a elas esperar que o baile chegasse rapidamente.
Finalmente a tão esperada data se aproxima, e as lindas princesas partem ao castelo do tio de Daniele para a primeira noite do baile.

Já na festa, por mera distração, Patrícia acidentalmente derruba o conteúdo de um copo abandonado em um belo príncipe, e, como toda princesa, pede-lhe perdão pelo incomodo. Mal sabia ela que, esse mesmo ‘incomodo’ lhe renderia um ótimo pretendente...
O príncipe Júnior se aproxima das duas amigas, interessado principalmente na princesa que lhe implorara desculpas minutos antes, pede que esta lhe conceda uma dança e algumas horas de conversa. Patrícia não vê bons motivos para recusar tal pedido e, assim o faz.

O baile continua noite à dentro, Patrícia e Júnior trocam mais sorrisos, ele, como bom cortejador, lhe serve um pouco mais de ponche e oferece o casaco para que a bela princesa não tome sereno e se resfrie. Até então, nada impede que esses jovens vivam um belo romance de contos de fadas, porém, em meio a muita conversa, uma revelação desanima o jovem casal: seus reinos são a quilômetros e quilômetros de distância!

Como resolver tamanho empecilho? O casal não tinha essa resposta, decidiram então aproveitar o tempo que lhes restava juntos, e assim o fizeram! Fora uma noite belíssima regada a muitos sorrisos e o triste beijo do adeus.

Duas noites depois, as jovens princesas seguem para a ultima noite do grandioso baile. Provavelmente por ser o último dia de festejos o baile recebeu mais convidados que o esperado; A esta altura, Patrícia já havia desistido do tão encantador Júnior, afinal, só o viu por uma noite e o baile estava cheio de mais para encontra-lo em meio a tantos convidados.
A noite segue e, em determinado momento, Daniele vê estampada na face de sua amiga o susto que uma ótima pegadinha do destino pode causar: Patrícia paralisada e o tão esperado príncipe Júnior, mais uma vez, lhe pedindo a concessão de uma dança.

Ultima noite de baile, e, provavelmente a ultima oportunidade que o jovem casal terá para ficarem juntos, conversarem e trocarem cortejos, o real beijo de adeus...
Aproveitar o quanto o destino lhes proporcionou, era tudo que poderiam fazer, assim o fizeram – ou tentaram – até que Daniele, não se sabe bem o motivo, sofre um desmaio, e as duas amigas tiveram que seguir, às pressas, de volta ao seu reino.
                                                                                                                              
Algum tempo havia se passado desde então, e, em um belo dia de sol, Patrícia recebe uma carta de Júnior, pergunto o que houvera na ultima noite de festividades e se teria a oportunidade de revê-la.

Patrícia fica tão feliz que, imediatamente, pede a seu pai que este conceda a permissão necessária para que Júnior possa se hospedar em seu castelo por alguns dias. O pai de Patrícia cede sem esforços, declarando querer conhecer o pretendente tão apaixonado que viajaria quilômetros de distância para ver sua filha.

Patrícia responde a carta de Júnior. A data do reencontro já estava marcada, restava somente esperar.

Júnior e Patrícia estavam tão apaixonados que nem a distância, nem os pais e, nem se quer o destino se atreveram a intrometer-se em meio a tanto amor! Depois do primeiro reencontro aconteceram inúmeros outros, e acreditem se quiserem: viveram felizes para sempre!



Sim, esta história é real.
E é a prova de que contos de fadas podem sim se transformarem em realidade!


Dedicada, com todo carinho, a minha grande amiga Patrícia e ao seu bem querer, Júnior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário