Questões de Opinião: Empatia, você já conhece?

Empatia, você já conhece?

Foto: Página Facebook Natália SG Ilustrações


Para quem não sabe, aqui vai um resumo. Empatia é você se tirar do centro de seu universo para ter a capacidade de por um outro alguém neste lugar, poder olhar para esta pessoa e se por no lugar dela de forma a tentar entendê-la.

Talvez você esteja se perguntando qual a relevância de saber e praticar esse sentimento, mas para saber isso é preciso abrir os olhos e observar o mundo, enxergar além do próprio umbigo e compreender como a sociedade pode ser vil e cruel. A partir do momento em que saímos da nossa zona de conforto, com a mente e o coração abertos para olharmos a realidade de uma forma totalizada, devemos estar preparados para o tapa na cara que receberemos. 

A questão é que a realidade machuca. Dói ver mulheres sendo assediadas e estupradas diariamente, crianças morrendo de inanição, pais de família morrendo em guerras fúteis, idosos sendo espancados pelos próprios filhos. Você que se deu a liberdade de imaginar cada uma destas situações e sentiu ao menos uma cutucadinha no peito, você talvez já tenha entendido a importância da empatia.

Quando há a empatia, há respeito e compaixão, coisas que num pequeno momento podem não te custar nada e ainda assim ser a mudança no dia, na semana, na vida inteira de alguém. A existência deste sentimento é um caminho na ajuda da melhoria do mundo. Compreender, ou ao menos tentar, o outro nos ajuda a trazer à tona um pontinho a mais de esperança. 



Muitas vezes ouvimos a famigerada frase "fazer o bem sem olhar a quem", mas não é bem assim. Pensar desta forma te faz praticar o bem de uma forma quase que alienada, ligada no automático quando você poderia estar fazendo e recebendo muito mais. Sim, exatamente, recebendo! Fazer o bem ao próximo é receber gratidão, um dos melhores presentes. Olhar no fundo dos olhos de alguém e sentir a gratidão daquela pessoa por você é algo infinanciável. Não devemos despejar nenhum tipo de ajuda, mas vamos pensar no seguinte exemplo: você separa várias roupas suas para doar aos moradores de rua de sua cidade, entretanto a grande maioria deles já possui roupas e, naquele momento, necessita de um alimento ou um remédio específico. Entendem o que quero dizer? É preciso sim olhar a quem fazemos o bem, entender o que o individuo necessita naquele momento para que assim você possa ajudá-lo verdadeiramente. 

Talvez você não consiga abraçar e mudar o mundo de uma vez só mas, talvez, o teu abraço, o teu olhar, a tua compreensão pode mudar uma vida inteira. 


Bom pessoal, agora que vocês conheceram um pouquinho do que escrevo vou me apresentar. Me chamo Samantha Verhaeg (calma, é só ler "Ferrá"), tenho 20 anos de sobrevivência no planeta Terra e desde então venho vivendo como toda geminiana: cheia de dúvidas, ansiosa por aventuras, fugindo da rotina e buscando coisas novas. Atualmente curso jornalismo na Universidade Federal de Uberlândia e não, eu ainda não sei no que quero trabalhar, mas sei que o convite para ser colunista aqui do blog foi um incentivo e tanto pra mim! Agora estarei aqui nas terças-feiras buscando trazer um pouquinho a mais de algo (inspiração, coragem, risadas, o que estiver no ar haha) pra animar a semaninha de vocês! 

2 comentários:

  1. Se sentir orgulhosa, um tanto pavão,ė assim que eu me sinto por ser a mãe de uma pessoa tão rica em sentimento, amor, inteligência, integridade, carácter, beleza de alma. Espero que você Samantha consiga continuar nessa sua missão de levar a luz ao coração de quem precisa. Te amo demais.

    ResponderExcluir
  2. Concordo!!! Parabens pelo lindo texto! Terça que vem estarei aqui para te encontrar novamente, beijos

    ResponderExcluir